mancheia

"Livros, discos, vídeos à mancheia! E deixe que digam, que pensem, que falem..."

sexta-feira, março 17, 2006

Encaminhando e Desencantando

Caiu-me nos olhos o lançamento de um livro que há muito esperava, mesmo não tendo a mínima idéia de que ele seria lançado.

Explico.

Bão, há muito eu desconfiava de milhares e vários e inúmeros textos que recebia encaminhados pela internet. Autores consagrados como Drummond, Millôr, Jabor e - o campeão de todos - Luis Fernando Veríssimo tinham imputados em suas reputações textos que versavam sobre inúmeros assuntos.

Como todo mundo pode saber, a internet é terra de ninguém. Dito isso, não há problema em receber um texto de um poeta consagrado que diga coisas bonitas. O problema, na minha humilde opinião, é dizer que um texto é de alguém sem ao menos avisar a esse alguém que esse texto foi escrito por esse mesmo alguém.

Algumas coisas chegam a ser ridículas: recebi um pps com um texto de autoria atribuída a Fernando Pessoa. Quando vi Fernando Pessoa dizendo para "curtir a vida", desisti, fechei portas e janelas e agora desconfio de tudo.

Pois bem, no Sem Censura que abriu essa semana eu vi uma entrevista com a jornalista Cora Rónai, que estava lançando o livro a que me referi no início deste texto. Esse livro procura corrigir algumas coisas relativas a esse problema praticamente insolúvel. Ele traz os textos campeões de encaminhamento via i-meio e seus verdadeiros autores, além das autorias "falsas" (atribuídas) e até alguns depoimentos dos autores famosos injustiçados, falando sobre os textos que não escreveram.

Boa leitura e esclarecedora, principalmente em tempos de banalização do encaminhamento de "Mensagens Lindas".

Em tempo: Bunda Dura, Diga não às Drogas, No caminho e O Direito ao Palavrão não são de Arnaldo Jabor, Veríssimo, Maiakóvski e Millôr, respectivamente.

Então, queridos e queridas, desconfiem da própria sombra ao receberem textos encaminhados atribuídos a autores consagrados. Comprem o livro do autor admirado ou peguem emprestado em bibliotecas públicas. Literatura não é auto-ajuda e nem música pra relaxar. Provoquemos.

Agora, ao final, a pergunta surge: será que esse texto é meu mesmo?

Ósculos e amplexos. Vários.

Alex Manzi.
Serviço: o livro citado se chama Caiu na Rede, com organização de Cora Rónai, e saiu pela Editora Agir. O preço? Mais ou menos 25 reais.

20 Comments:

Anonymous Henrique 8ªsérie said...

Fala Alex como você está? Estou pasando aqui para te desejar um Bom Final de Semana...Abraços

8:57 AM  
Blogger Carmen said...

Tem dois desses casos que tenho especial antipatia:

1) Aquele texto "Eu sei, mas não devia", que é da Marina Colasanti e faz parte de um livro pelo qual ela recebeu prêmio Jabuti. O tal circula na net como sendo da Clarice Lispector. Respeito Clarice muitíssimo, mas esse texto é da Marina.

2) O poema do Edson Marques chamado "Mude", também atribuído, no mundo virtual, à Clarice.

Não bastasse o gênio dela, ainda é preciso atribuir a ela a genialidade de outros?

Ah, não... não acho bom!

Por essas e outras que nunca leio e-mails de Power Point. Deleto sem abrir. E quando vejo que são esses poemas ou "ditos sábios", só corro o olho e deleto logo. Em alguns casos é melhor a gente continuar à moda antiga: PAPEL!!!

10:28 AM  
Blogger Alex Manzi said...

Henrique, que boa surpresa sua visita aqui. Passe sempre por aqui, meu velho. Estarei esperando.

Abração de fim-de-semana!!!

10:39 AM  
Blogger Alex Manzi said...

Carmencita,

Existem vários outros que não estão no livro que citei. Há casos gritantes, principalmente no caso do Veríssimo, em que você percebe o estilo diferente do autor.

Como disse, chegam a ser ridículas algumas coisas que recebemos. Ditos sábios, mensagens lindas, lições de vida...

Desse jeito o livro nunca morre mesmo. Graças a Jeová!

Beijos.

10:44 AM  
Anonymous Vanessinha said...

Brilhante! Nao tenho outra palavra em mente pra descrever "Encaminhando e Desencantando".

Amplexozinhos!
Vanessinha.

8:37 PM  
Blogger Paulinha / Zut said...

Oi Alex!

Eu, pessoalmente, acredito que o fato das pessoas colocarem outros nomes nos textos acontece no intuito de valorizar um texto muitas vezes escrito por alguem desconhecido. Existem milhares de e-mails circulando com o nome de pessoas de todo o estilo; basta um pouco de "fama" para que isso ocorra. Tome cuidado!!! com textos tão bons iguais aos seus... muito em breve veremos pps com sua autoria dando umas voltinhas nas caixas de mensagens por ai ^^
Beijo grande.
Adorei o post =)
Ate amanha

8:59 AM  
Blogger Alex Manzi said...

Vanessilda! Que bom que gostaste. Toda semana tem coisa nova por aqui. Volte sempre aqui no meu buteco.

Osculozinhos!

12:21 PM  
Blogger Alex Manzi said...

Paulinha, acho que a sua teoria está bem certa. Mas por que não se expor, dar a cara a tapa, mostrando o nome em textos que, às vezes, são bem bacanas mesmo? É certo que muitos deles são cópias do estilo do autor famoso, mas outros têm personalidade suficiente, não é mesmo?

Obrigado pela visita e pelos elogios.

Beijão.

12:26 PM  
Anonymous Alan said...

Irmãozinho, seu site já virou leitura obrigatória! E o melhor, nessa semana já saiu dois, derrubando a promessa de "um por semana". É isso aí! É muito bom te ler! Abração!

8:12 PM  
Anonymous alan said...

ps... acho que vou entrar nessa também...

8:13 PM  
Blogger Alex Manzi said...

Alan-meu-pai-meu-irmão! Obrigado por estar sempre aí. É ótimo saber que vocês estão sempre passando por aqui. Se quiser espalhar a notícia, fique a vontade, bicho.

Agora, a melhor notícia de todas é te ter na aldeia blogal juntinho de nós, de braço dado. Faz esse blog logo, menino!

Seja bem-vindo. Evoé!

Abraçocas.

9:22 PM  
Anonymous Samir said...

É Álex Frontman, tenha certeza que isso acontece também em áreas específicas... Lá na Fisioterapia, por exemplo, muitos textos sem autoria com descrição de técnicas diversas são atribuidos a autores famosos, sabe-se lá porquê. Já é difícil encontrar textos confiáveis. Bom, lembremos que a própria Bíblia tem suas fraudes né, então essa história é antiga. Uhm.. A propósito, Stand By Me não é do John Lennon!

10:51 PM  
Blogger Arthur Petrillo said...

Olá Aléquis. I've got a new post. Só vc que vai comentar, mas tudo bem. Não sei pq insiste para que eu tenha meu blog!!!

BeijoS!

11:50 PM  
Blogger Alex Manzi said...

Samiro! Eu sei que Stand by Me não é do John Lennon. Você deve ter lido isso na lista do nosso repertório, né? Eu coloquei só como referência, pois a gravação mais famosa é do João.

Essa questão dos textos é bem complicada, canhotinho. Confiar mesmo, só no livro de papel, comprado na loja ou emprestado. Internet é terra de ninguém mesmo. O velho oeste cibernético.

Abração e obrigado pela visita.

12:30 AM  
Blogger Alex Manzi said...

Arthurzinho Maia, fui ao seu blog e vi porque insisto em ler textos seus. A prosa poética tem mais uma casa na rede.

Seja fiel aos seus leitores e atualize o buteco sempre, hein?

Ósculos de boas-vindas!

12:43 AM  
Blogger Arthur Petrillo said...

Aléquis,

Já que és socialite dos blogs, me insira na galera, hehe

3:18 PM  
Blogger Alex Manzi said...

Farei isso, menino de Santa Tereza. Farei com muito gosto.

Abraçocas.

5:10 PM  
Anonymous Johnny said...

O pior é que eles colocam uns textos mais chinfrins e dão autorias à Pessoa, Veríssimo, Clarice Lispector, entre outros. Deve ser ou pra dar credibilidade à própria obra ou pra as pessoas lerem por se tratar de um autor famoso. Injustificável, ninguém merece!

6:41 PM  
Blogger Alex Manzi said...

Tenho pensado que a segunda opção seja a mais usada, Johnny Boy. Pra chamar a atenção pra textos ruins, né?

Outra coisa ridícula é colocar o nome do Veríssimo em textos de auto-ajuda beeeeeem rasteiros, falando de religião e afins.

Abraços.

10:42 PM  
Blogger Thaís said...

É verdade.
Mas pra nós, que temos um nínimo conhecimentozinho de determinados autores, fica fácil saber.

Tem um Sempre um Papo com o Veríssimo com um trechoi divertidíssimo sobre isso.

Se interessar: http://www.sempreumpapo.com.br/mondolivro/?page_id=2629

1:48 PM  

Postar um comentário

<< Home