mancheia

"Livros, discos, vídeos à mancheia! E deixe que digam, que pensem, que falem..."

quinta-feira, julho 13, 2006

Rock Santeiro

Hoje, dia 13 de Julho, é comemorado o Dia do Rock. Bacana. Mas, pra quem é devoto do ritmo / estilo de vida / razão de viver, todo dia é dia de rock, né?
O rock nasceu de um jeito e hoje ele tem vários jeitos espalhados por aí. Ou talvez ele já tivesse nascido de vários jeitos, mas não éramos capazes ainda de perceber o quão vário ele era.
Pra mim, o que existe mais é uma existência rock and rollesca. Ninguém me tira da cabeça que Elis Regina é a cantora mais rock and roll do Brasil. Não adianta me convencer do contrário. "Entre o muro e a faca, atiro-me contra a faca", dizia a mamãe de Maria Rita. Quer coisa mais rock do que isso, meus amiguinhos???
O erro é associarmos rock à música barulhenta, com guitarras distorcidas e rebeldia, quase sempre pré-fabricada. Mas, o que é o rock? Ou quem é o rock? O rock é o riff básico dos Stones ou a falta de guitarras no último álbum do Radiohead? Os poucos acordes com letras imagéticas e angustiadas do Lou Reed ou a elaboração dos arranjos dos músicos do Dream Theater? Ou o rock é apreciar junk food em frente ao computador ouvindo a Quinta de Beethoven?
O que sei é que a cada ano surgem zil bandas querendo seu lugar e reciclando décadas. Algumas reciclam de modo criativo, outras de modo vampiresco mesmo. Mas, existe mal nessas atitudes? Há problemas em tocar um som de uma década que te agrade? Acho que não. O problema (como em quase tudo) é a tal da mídia. Todo ano os "especializados" resolvem que determinada banda vai salvar o rock; como se ele estivesse nas últimas, respirando por aparelhos o coitado...
No final, o rock é de cada um. E durma com um barulho desses.
Ósculos e amplexos para quem for de.
Alex Manzi.
p.s.: em breve, uma pequena série de discos que considero mui bacanas e fundamentais. Quem quiser, já pode indicar os seus nos comentários.

18 Comments:

Blogger Marco Aurélio said...

Hoje é dia de comemoração de uma das coisas que mais marcaram minha adolescência. Pensei até em escrever sobre isso, mas estou muito aborrecido com os incidentes em SP. Ainda bem que você escreveu. Estou pensando em filar um pouquinho do seu suco de açaí amanhã para misturar com um outro líquido que você sabe para ver como fica? que tal? vai dar um bico?

4:40 PM  
Anonymous Isabela said...

Oi!!
Concordo com você..
Para quem gosta de rock..não é necessário só um dia para tal..
vamos,então, comemorá-lo todos os dias..

Que tal The Strokes- Room on fire
A musica 12:51?
Humilde sugestão..=op
Beijos

11:07 PM  
Blogger Alex Manzi said...

Coréio,

O roquenrou é bastante responsável por quase tudo aquilo que faço hoje como músico. Pro bem e pro mal.

Só achei que meu post poderia ter ido mais fundo. Falei pouco e não falei bonito. Mas obrigado pela visita sempre.

Meu copinho de açaí está à disposição. Mas só se eu também puder experimentar a beberagem.

Ósculos.

11:56 PM  
Blogger Alex Manzi said...

Ah, Coréio...

Esqueceu de deixar suas dicas de discos mui bacanas e fundamentais!

Volta aqui, menino!

11:57 PM  
Blogger Alex Manzi said...

Bela!

Obrigado pela visita, ainda que bissexta. Volta mais, menina!

Adorei a sugestão (principalmente pela bela canção), mas ainda gosto mais do primeiro disco dos Strokes. Já nasceu clássico. The Modern Age e Last Nite são perfectas!!!

Beijos!

12:04 AM  
Anonymous Johnny said...

Rock, fundamentalmente pra mim, é atitude. Daí que Elis cantando muitas vezes é rock. Bob Dylan, Lou Reed. Algo que agrida. Um pouco agridoce? Rolling Stones ainda é rock? Madonna não é, não foi e não o será. Skank não foi e hoje anda de mãos dadas com ele. Radiohead, apesar da roupagem, é rock. Batuque tribal, o blues, a voz de Cazuza arranhando com seus berros,"Down em mim", blues mais roqueiro do Brasil. Los Hermanos tem a essência. Agora Pitty, CPM 22,Capital Inicial,(até que o Charlie Brown Jr. tem a inconsequência do rock, embora seja muito ruim e tosco) e outros mil iguais...
Falei demais.
Abraços rockeiros (evidianos, evidentemente- isso só o Alex vai entender...).
Johnny

8:47 AM  
Blogger Carmen said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

3:41 PM  
Blogger Alex Manzi said...

Johnny, meu bom amigo!

Rock é estilo de vida, uma escolha, não é?

Enquanto escuto Mr. Morrissey, batuco essas linhas que me fazem mais saudoso de nossas roquenrouzices evidianas!

Obrigado por musicar minha primeira letra na longínqua década de 90! (Apesar de ter sido um samba, somos do roque.)

Amplexos fortes!

11:40 AM  
Blogger Alex Manzi said...

Carmencita de mi corazón!

Já experimentou ouvir um Led enquanto batuca linhas em comentários de blogues de amigos? Ótima sensação. Recomendo.

Acho que sua relação atual com o rock ilustra bem o que tenho em relação a alguns filmes e músicas que ainda escuto: pura ligação sentimental. O que explica o fato de ainda gostar de ouvir certos discos e certas músicas? Só pode ser isso...

A minha relação com o enjoado do Ú-Dois é engraçada, pois gosto mais das coisas mais novas deles, mais recentes. Nesse caso, a teoria do sentimentalismo não vale.

Quanto aos Dum Dum Boys, já tá anotado na lista de novas aquisições.

Ósculos Zepelinianos.

11:55 AM  
Blogger Rogerinho said...

Alternativo,

Hoje te apresentei o novo rumo do rock (?) nacional: Hateen, a banda que toca(?) a música(?) 1997, cuja letra se encontra no link:

http://hateen-musicas.letras.terra.com.br/letras/346688/

Quando a gente achava que estava no fundo do poço com o CPM22, alguém continuou cavando...

Viva Elvis Presley!!!

12:04 PM  
Blogger Alex Manzi said...

Rogerinho amiguinho mainstream!

Muito obrigado pela visita ao meu buteco. Servimos bem para servir sempre.

Agradeço efusivamente pela oportunidade que você me deu de conhecer o tal Hateen. O nome da referida banda (que é brasileira, pasmem!) junta Hate (ódio) com teen (jovem, adolescente). Traduziríamos como "Ódio Juvenil"? Ódio a quê? Às provas bimestrais ou às espinhas?

A citada canção é uma pérola de poesia, equiparando-se às besteiras do Chorão no Charlie Brown.

São essas coisas que me fazem amar cada vez mais Los Hermanos.

Grandes abraços!

11:49 PM  
Blogger Alex Manzi said...

Carmencita

Sou meio suspeito pra falar do Led. São deuses nórdicos que desceram à Terra pra falar conosco, através de parábolas, o que é o roquenrôu. (King Arthur vai me matar por causa desse comentário, mas tudo bem)

Adorei o seu comentário deletado.

Ósculos Robertplantianos...

11:55 PM  
Blogger Arthur Petrillo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

3:41 PM  
Blogger Carmen said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

10:02 PM  
Blogger Alex Manzi said...

Tudo bem eu ter demorado a responder, mas comentário virando névoa... Acho que os comentários têm prazo de validade e evaporam se demorados na resposta. :-)

Mas tudo bem, Tutu e Carmencita. A polêmica Zepeliniana fica pra outra ou pra bem depois dos depois. Pretendo (e muito!) falar mais de rock, música em geral.

Vocês continuam em mi corazón.

Ósculos sem prazo de validade.

11:22 AM  
Blogger Carmen said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

11:59 AM  
Blogger Carmen said...

Manzi de mi bida:

Antes de vir aqui e ler sua resposta, eu já tinha colocado novamente o link para Mancheia lá em meus Resquícios. Isso porque pensei que não seria boa coisa eu mudar minha "casa virtual" em função de palavras ditas a meu respeito por gente que não me conhece.

Beijo e longa vida a Mancheia!

12:10 PM  
Blogger Alex Manzi said...

Obrigado, amiga de mi corazón!

Ainda bem que você reconstruiu a ponte que unia nossas cidades.

Longa vida ao Resquícios!

Ósculos e ósculos!

9:49 PM  

Postar um comentário

<< Home